O real da atividade por trás da atividade realizada pelo professor

por Anselmo Lima

real realizada atividade consciente inconsciente professor trabalho saúde

O ser humano, diz Vygotsky, é pleno de possibilidades não realizadas a cada instante e as possibilidades que ele de fato realiza são uma ínfima parte do universo de possibilidades que seriam realizáveis nas situações em que se encontra. Com base nessa ideia, é possível afirmar que todo professor em sala de aula tem diante de si, a cada momento, na interação com os alunos e com outros destinatários de sua atividade, inúmeros gestos profissionais possíveis de serem realizados. Mas os gestos profissionais docentes que concretamente se realizam são uma parte irrisória do conjunto de gestos profissionais de ensino-aprendizagem que seriam realizáveis.

Assim, a atividade docente – de forma mais ampla – possui um volume que ultrapassa em muito o mero volume da atividade concretamente realizada e observável. Faz igualmente parte da atividade docente todo o volume da atividade não realizada, o qual – em diferentes graus – constitui a própria esfera da inconsciência, isto é, do real da atividade de ensino-aprendizagem. Adaptando as palavras do psicólogo Yves Clot e de seus colegas, pode-se dizer que a atividade docente também diz respeito àquilo que o professor não faz, àquilo que o professor tenta fazer sem conseguir, àquilo que o professor queria ou poderia ter feito (mas não fez!), àquilo que o professor acredita poder fazer em outro momento, etc.

Nesse sentido, apesar de planejar muito bem uma aula, é comum que o docente se queixe de não ter conseguido dar essa aula como planejou e/ou como teria gostado. É comum que ele, muitas vezes frustrado, reclame do fato de que este ou aquele detalhe de sua aula não sai ou nunca pôde sair como planejado e esperado por conta de inúmeros impedimentos (obstáculos e dificuldades, que podem ser ou parecer de fato insuperáveis). A aula que o professor pretendia ter dado, mas não conseguiu, faz parte – então – do universo do real da atividade de ensino-aprendizagem por trás de sua atividade efetivamente realizada.

Professor, quais seriam suas possibilidades não realizadas? O que você poderia ou gostaria de fazer em seu trabalho, mas é impedido? Quais seriam esses impedimentos e como você lida com eles? Fala sobre isso com seus colegas? Eles falam sobre isso com você? O que diz a gestão de sua escola sobre esse assunto? É seu desenvolvimento profissional e sua saúde e bem-estar que estão em jogo.