Formação e saúde do professor: a teoria em resumo

por Anselmo Lima

formação continuada saúde do professor resumo teoria crianças alunos

A profissão docente possui quatro dimensões indissolúveis: impessoal, pessoal, interpessoal e transpessoal. A dimensão impessoal diz respeito às prescrições oficiais e oficiosas do trabalho docente. Nessa dimensão, o trabalho não pertence a nenhum professor. A dimensão pessoal diz respeito à realização do trabalho em resposta às prescrições. Nessa dimensão, o professor se apropria das prescrições, transformando-as em autoprescrições para melhor adaptá-las às condições reais de execução do trabalho. A dimensão interpessoal diz respeito à execução do trabalho de forma dirigida, respondendo aos interesses conflituosos dos destinatários: alunos, pais ou responsáveis, colegas professores, gestores da escola, o próprio professor que executa o trabalho, etc. Finalmente, a dimensão transpessoal é a dimensão das formas relativamente estáveis e comuns de se realizar o trabalho em um coletivo. Nessa dimensão, que corresponde à expressão máxima da profissão docente, o trabalho é de todos os professores de um coletivo, mas de nenhum em particular.

Entre o trabalho docente prescrito e o trabalho docente realizado existe, portanto, uma atividade interpessoal de organização do trabalho pelos professores, os quais, como educadores, em interação com os alunos, buscam organizar e administrar o meio social da sala de aula para que nele os alunos possam se educar a si mesmos. Quando isso é feito por meio do trabalho coletivo, os professores se apoiam uns aos outros e, por assim dizer, promovem espontaneamente uma formação continuada em serviço, o que acaba por promover também sua saúde. Entretanto, o mais comum é que os professores não formem um coletivo de trabalho, mas uma coleção de indivíduos. Quando esse é o caso, a tendência é que cada docente trabalhe por conta própria, sem a participação e o apoio dos colegas. Isso tem impactos negativos sobre a saúde do professor e sobre o exercício da profissão, que sofre em sua dimensão transpessoal. Torna-se então necessário que os gestores educacionais trabalhem com as coleções de professores para que elas gradativamente se transformem em coletivos de trabalho docente.

Com isso, percebe-se a centralidade da dimensão transpessoal da profissão. É que a atividade do professor em sala de aula, para ser produtiva e saudável, precisa se realizar por meio de gêneros didático-pedagógicos, isto é, através de formas relativamente estáveis de atividade de ensino-aprendizagem. Em outras palavras, é preciso que haja um repertório de gestos profissionais docentes que sejam conhecidos e comuns aos professores de um coletivo, de modo que cada professor – na relação com os demais – possa repeti-los, mas ao mesmo tempo recriá-los, adaptando-os a novos contextos de uso, o que atualiza suas significações funcionais e manifesta o estilo de cada professor.

A recriação de gestos profissionais ocorre porque os gestos anteriores perdem até certo ponto sua eficiência e eficácia em função de novos obstáculos impostos por novas circunstâncias nas quais estão sendo repetidos. No momento do enfrentamento de dificuldades, o professor toma consciência da necessidade de recriação de seus gestos e busca formas de recriá-los. Entretanto, no contexto de precariedade das escolas, no qual o que existe é a coleção de indivíduos docentes, pela falta de apoio mútuo e de troca de experiências, bem como em função de um provável desengajamento disso decorrente, o docente acaba por repetir seus gestos ao idêntico, sem recriá-los. Isso, além de poder gerar frustrações devidas a obstáculos e dificuldades que se apresentam como insuperáveis, acaba por levar o professor ao adoecimento.

É possível perceber que uma real promoção da formação continuada do professor resulta ao mesmo tempo na promoção de sua saúde. Sendo esse o caso, enquanto o papel dos professores é buscar trabalhar coletivamente, o papel dos gestores educacionais é apoiá-los para que eles efetivamente tenham condições de fazer isso. Mas como? Deste ponto em diante, dedicarei os próximos posts à apresentação de uma proposta prática.