Qual foi o trabalho concreto de sala de aula enfrentado com qual coletivo de professores?

por Anselmo Lima

sala-de-aula-clinica-da-atividade-docente-utfpr-pato-branco

Depois de constituir na UTFPR-PB um coletivo maior de professores a partir da estrutura educacional existente, o terceiro passo na implementação da Clínica da Atividade Docente nessa instituição foi o enfrentamento do trabalho concreto de sala de aula com os coletivos menores. Empreguei para essa finalidade o método clínico da Autoconfrontação Simples e Cruzada. Os procedimentos foram os seguintes:

1) com a finalidade de filmar aulas, formei pelo menos uma dupla de professores voluntários no interior de cada um dos seguintes coletivos departamentais de trabalho docente: 1) Administração; 2) Agrimensura; 3) Ciências Agrárias; 4) Ciências Contábeis; 5) Ciências Humanas; 6) Construção Civil; 7) Elétrica; 8) Física; 9) Informática; 10) Letras; 11) Matemática; 12) Mecânica; e 13) Química. Neste Blog, empregarei como exemplo prático a totalidade do trabalho realizado com uma dupla de professores do Departamento de Informática; Para saber mais, clique aqui.

2) estabeleci uma parceria de trabalho com os alunos da dupla de professores do Departamento de Informática e – no caso dos discentes menores de idade – também com seus pais ou responsáveis; Para saber mais, clique aqui.

3) observei e registrei por escrito duas aulas de cada professor da dupla voluntária; Para saber mais, clique aqui.

4) auxiliei os professores da dupla voluntária na análise e na problematização das aulas observadas e registradas por escrito; Para saber mais, clique aqui.

5) filmei duas aulas de cada professor da dupla voluntária objetivando sua análise e a problematização; Para saber mais, clique aqui.

6) auxiliei os professores na análise e na problematização de trechos das aulas filmadas, empregando para isso sessões de Autoconfrontação Simples e Cruzada, as quais foram também gravadas audiovisualmente; Para saber mais, clique aqui.

7) produzi videodocumentários sobre o processo de análise e problematização de trechos das aulas filmadas, empregando para isso as gravações das sessões de Autoconfrontação Simples e Cruzada; Para saber mais, clique aqui.

6) compartilhei os videodocumentários com todo o coletivo de professores em reuniões pedagógicas conduzidas pelos próprios professores, com o auxílio dos Coordenadores Pedagógicos; Para saber mais, clique aqui.

7) auxiliei o coletivo de professores na análise e na problematização dos videodocumentários de modo que formulassem providências didático-pedagógicas a serem tomadas por eles mesmos e pelos gestores educacionais; Para saber mais, clique aqui.

8) registrei em atas uma síntese da análise e da problematização dos videodocumentários, bem como das providências didático-pedagógicas a serem tomadas; Para saber mais, clique aqui.

9) levei os resultados ao conhecimento dos gestores educacionais apoiadores da iniciativa por meio dos videodocumentários e das atas das reuniões pedagógicas; Para saber mais, clique aqui.

10) tomei as providências didático-pedagógicas necessárias com o apoio do coletivo de professores e dos gestores educacionais envolvidos; Para saber mais, clique aqui.

Detalharei, explicarei e discutirei em meus próximos posts cada um desses procedimentos de enfrentamento coletivo do trabalho concreto de sala de aula com o coletivo dos professores de Informática UTFPR-PB.